André Dogão – Entrevista

“Carioca, 49 anos, ativo, corpo normal, bem-dotado, tatuado, peludo, estilo dominador na cama. Curto sexo baunilha com uma pegada mais hard, sempre com muito beijo na boca. Sou tarado em chupar um rabo de macho. Dominação é um fetiche à parte, sem excessos. Sou bastante experiente em fisting, mas nesse caso prefiro parceiros já experientes (não tenho paciência pra iniciar ninguém). Não curto bareback, scat e sangue.”
 

_________________
Essa é a definição no perfil do blogueiro e também vlogueiro “André Dogão”. Um cara extremamente sedutor que acumula fãs em todas as redes sociais em que está presente. Ele desperta a atenção por inúmeros motivos: corpo definido, tatuagens, pêlos, (moderadamente aparados), sexo agressivo (hard) e um dos destaques é o seu (quase) anonimato, pois, em suas cenas/fotos nunca o vemos por completo e isso aguça bastante a curiosidade dos seus fãs que o tem como objeto de desejo, sonhando em tê-lo como “mestre e dominador”. Como novidade para esta temporada – o blog do Dogão pretende realizar um desafio grande. “Uma cena de dupla-penetração” com o @magnomoreno, ator pornô e acompanhante. Envolvendo muita dominação e aguçando o tesão da galera!

 
@pornstarbrasil – Vamos começar pelo seu nickname – “Dogão”. Você criou este apelido ou foi sugerido por algum fã?
Na época que comecei a descobrir todo esse mundo virtual, precisava de um nick para colocar no msn, no perfil etc. Muita gente dizia que eu era um cachorrão, pela postura no sexo e na hora de paquerar. Um dia estava passando na rua e vi um outdoor de um cantor de rap, “Dogão é mau!!”, achei manero, adotei e o apelido acabou pegando. Depois abreviado só para Dogão e inserido como “sobrenome” depois do André.
 
@pornstarbrasil  – Quando e como foi a sua primeira relação sexual?
A primeira eu tinha 17/18 anos, numa praia deserta em Rio das Ostras, RJ. Estava de férias com família numa casa isolada, e todos os dias ia caminhar sozinho numa praia deserta e imensa. Sempre passava por uns caras acampados na praia e um deles me olhava. Certo dia insinuou que o seguisse. Entramos numa casa em construção abandonada, meu pau já tava saltando pra fora, ele tirou pra fora e chupou. Depois tentou que eu metesse nele, mas pelo nervosismo não conseguiu. Foi minha primeira experiência com outro homem. Logo em seguida conheci um cara 10 anos mais velho e namorei por 6 meses. Esse primeiro namorado conheci na pedra do Arpoador, Rio. O primeiro fist foi no Termas Leblon. Do nada, um cara perguntou se eu queria enfiar a mão no cu dele. Muito safado, eu topei. E não é que o braço entrou quase até o cotovelo. Fiquei fascinado e adorei a prática.
 
@pornstarbrasil  – Acompanho o teu site há muito tempo e a cada cena nova a gente percebe o aumento do assédio nos comentários. Sua rotina diária (fora blogger) é assim? Você é cantado a todo tempo?
Não sou tão cantado no dia a dia, pois sou muito discreto. Sou mais assediado quando vou à praia ou algum lugar de pegação. Tenho cara de bonzinho, ninguém imagina que sou esse putão da internet. Sou comum, as pessoas me curtem por ser macho e pela postura na cama, e isso vale muito também.
 
@pornstarbrasil  – O mistério de uma face que não se mostra é realmente excitante. Você já foi “descoberto” andando na rua? Conte-nos algum caso curioso e como foi a sua reação…
Como te disse, sou um cara bem comum, não desperto atenção por corpo nem beleza. Mas já me reconheceram pela voz e pelas tatuagens. Já aconteceu um lance que achei desagradável, um cara me reconheceu na praia, eu estava com meu namorado, e senti que ele ficou me apontando para os amigos e comentando. Isso eu acho meio chato.
Uma vez eu estava fodendo um cara numa sauna, na cabine dele e coma porta aberta. Ficou um grupinho na porta assistindo, depois um me chamou na encolha e perguntou se eu era o Dogão.
 
@pornstarbrasil  – Você citou “um namorado” na resposta anterior (quando foi apontado na praia) atualmente existe esse namorado fixo ou está solteiro?

No momento estou solteiro, meu último namoro faz uns dois anos.

@pornstarbrasil  – Fetiche é algo fantástico. Todos nós temos e alguns são quase que “impublicáveis”. A prática de BDSM que você realiza com seus parceiros é sempre com consentimento anterior ou você negocia quando conhece o parceiro pessoalmente?
Todas as práticas são combinadas antes, jamais faço algo que não tenha sido aceito pelo parceiro. Já fui mais de fetiches, hoje em dia mais numa vibe de um sexo com pegada, com alguns fetiches de dominação no meio. Falta de tempo para realizar sessões mais elaboradas, com um ritual maneiro e uso de acessórios, Mas não descarto que volte acontecer com a pessoa certa e no momento certo.

@pornstarbrasil  – Quais as práticas que você realiza SEMPRE (em toda relação sexual que você tem) e que te dão mais tesão?
Sempre realizo tudo que quero ou que eles querem, meus únicos limites são bareback, qualquer coisa envolvendo sangue, scat. Gosto muito de fistar, mas não tem rolado devido a falta de parceiros interessados (no Rio não tem muitos adeptos). O que não pode faltar é muito beijo na boca, e sou muito tarado em chupar um cu de homem, se deixar fico horas. Um sexo oral demorado também faz minha cabeça.
 
@pornstarbrasil  – Cada pessoa tem a sua individualidade e nas cenas você respeita a cada um. Algum parceiro já quis algo que você disse não?
Geralmente meus parceiros vêm com uma expectativa alta e procuro não decepcionar. Raramente rolou alguma decepção. Não sou nenhum deus grego, mas na cama eu me garanto.

@pornstarbrasil  – Realmente, as pessoas acreditam que os personagens nunca cansam e estão sempre dispostos e de pau duro pra quem vier. Então, conte-nos, existe um “recorde” do Dogão – em trepadas do dia?
A gente vai amadurecendo e os gostos mudam. Hoje em dia sou mais adepto de uma transa demorada e com muita qualidade, com muitas preliminares, do que várias rapidinhas. Uma transa minha boa demora umas 2 ou 3  horas. Veja bem, uma foda boa de 2-3 horas com a pessoa certa. Isso seria a situação perfeita, e tenho uns parceiros fixos que rola assim. Há rapidinhas boas e rapidinhas que me arrependo.
 
@pornstarbrasil  – Você sai apenas com homens ou também é assediado por casais?
Sou assediado mais por homens.
 
@pornstarbrasil  – Quantas cenas você acredita já ter gravado? Tem todo o material registrado ou já perdeu alguma coisa?
Perdi a noção de quantos vídeos já fiz. Teria que parar e contar. A maioria ainda tenho guardado, mesmo os que não estão mais no ar.  Perdi alguns poucos arquivos, a maioria ainda está comigo. Em termos de quantidade, posso dizer que o ano de 2010 foi o mais bombado. Eu estava desempregado e fodia muito, gravava vários vídeos diferentes por semana.

Uma curiosidade que tenho como blogueiro se é você quem cuida do design do seu blog, postagens, edição de vídeos, etc. Tudo é feito por você ou recebe alguma ajuda?

O Victor Rios fez o layout do blog, os textos e a edição dos vídeos sou eu que faço.

 
@pornstarbrasil  – Nas cenas que você produz por serem reais, você tem ali sempre os mais variados tipos de corpos e você descreve muitos deles com uma pitada extra de tesão. Você tem um padrão que te deixa mais excitado?
Sou eclético, gosto desde caras novinhos até maduros, cada um tem seus atrativos. Não questiono gostos de ninguém, até porque os meus são bem variados. Também tenho tesão por barbudos, ursinhos e mulatos.  Mas se tivesse que descrever um cara ideal seria: careca ou cabeça raspada, corpo bom (não necessariamente sarado), barba (mal-feita), corpo peludo e bunda lisa, passivo e que curta muito beijar.
 
@pornstarbrasil  – Apesar da descrição “dominador” você prefere os caras mais submissos (que já vêm prontos) ou os que você realmente precisa dominar na hora H?
Gosto tanto de caras que já vêm prontos (submissos) quanto os caras que descobrem o prazer de serem submissos comigo. Isso já rolou.
 
@pornstarbrasil  – Existe muita desistência na hora de gravar, apesar de ser combinado anteriormente? Muitos caras pedem pra você remover os vídeos com eles?
Alguns caras tentam me atrair dizendo que topam filmar e na hora H dão pra trás. Isso me decepciona muito, pois, topo foder sem filmar na boa, desde que role tesão, mas não gosto que tentem me enganar. Já tive que excluir vários vídeos, a maioria porque a pessoa foi descoberta pelos amigos ou então começou a namorar.
 
@pornstarbrasil  – Quando você começou a sentir o desejo de gravar as cenas para que o público visse o que rola no apto do Dogão?
Comecei tirando fotos das trepadas, os vídeos foram um prolongamento natural disso. Sou reservado no dia a dia, e esse exibicionismo virtual é uma válvula de escape. Além do mais, serve para me arrumar excelentes contatos. Não filmo nem um décimo de tudo que já rolou. Se a galera visse uns caras que já peguei, todo mundo iria pirar.

Créditos das Imagens @blogdogaorj
@pornstarbrasil  – Pergunta clichê: dentro do quarto e de câmeras desligadas tudo pode acontecer? Ex.: inversão de papéis, etc.?
Sou muito safado em termos de sexo, e tirando querer me comer e me dedar, não tenho frescuras. Dentro de quatro paredes, macho com macho, rola o que o tesão mandar. Deixando bem claro que mexer no meu rabo corta meu tesão. O resto é só alegria, com o cara certo.
 
@pornstarbrasil  – Hoje o Dogão tem 49 anos. Conte-nos como é a sensação/expectativa de deixar de lado as redes sociais como um mito do sexo? O que você recebe de pedidos implorando para que isto não aconteça deve ser incalculável. Fale um pouco pra gente.
Tenho em mente que devo deixar o “show” no auge. Acho que é uma maneira inteligente de se aposentar. É ótimo deixar as pessoas querendo mais. Estou com 49 anos, já aprontei muito, fiz tudo o que quis. Minha intuição me diz que é o momento de parar e cuidar dos assuntos do coração, ser o Dogão para um cara só. Mas sairei de cena com um pouco de pena e sentirei saudades do “personagem”. Acho que o personagem atingiu uma dimensão que eu jamais esperava. Às vezes isso é ótimo, em outras é um fardo pesado pra carregar, As pessoas pensam que você é um super-homem do sexo e na verdade você é um cara comum, que tá cansado do trabalho, que tem contas pra pagar, que às vezes não tá afim de sexo, apenas de ficar junto, relaxar e curtir.
 
@pornstarbrasil  – Já existe alguém que provavelmente será o SUB do Dogão pra sempre? Você tem o sonho do casamento e acredita na monogamia?
Não acredito em monogamia, mas espero me surpreender. Farei um esforço pra isso. Ainda não há um cara. Teve alguns especiais que passaram na minha vida. Um amigo me diz que a pessoa que vai me arrebatar não é alguém do meu passado, e sim alguém que ainda vai aparecer. Será? Tô pagando pra ver.
 
@pornstarbrasil  – O Dogão aprendeu tudo sozinho ou teve um mestre que te “iniciou”?
Quando comecei a me interessar por esse mundo de fetiches, dominação, BDSM, cheguei a ser submisso para um Mestre mais experiente. Mas não sou passivo e gosto mesmo é de mandar na cama.
 
@pornstarbrasil  – Existiu um mestre então? O mestre do mestre? Ele ainda está na ativa?
Existe um Mestre que me iniciou. Muito fetichista e experiente. No RJ. Creio que ele ainda está na ativa, mas não está atuando virtualmente.

@pornstarbrasil  – Existe o fetiche de dominar os caras que também gravam se auto-titulando dominadores em seus blogs? Tem mais perversão nessas cenas? Você capricha mais?
Claro que existe um tesão extra em dominar outro cara com perfil de ativo e dominador. Seria hipócrita se dissesse que não. Dá um tesão a mais sim.
@pornstarbrasil  – Você se define como não adepto do BareBack. Sempre foi assim ou em alguma situação já transou sem proteção?
Só curto sexo com proteção e não estimulo ninguém ao bareback. Curto muito sexo, ser saudável e quero continuar assim. Sabendo usar, não vai faltar.
 
@pornstarbrasil  – A relação Dominador x Escravo se dá apenas durante o ato sexual ou, se eles vivem juntos o “submisso” é sempre subserviente em tudo?
Acho que existem as duas situações: a submissão que se dá apenas durante o ato. (Conheço um cara. casado, que no dia a dia em funções profissionais é super mandão e autoritário, e na cama é super obediente e dócil, como se fosse uma válvula de escape). Há relações onde o submisso desempenha essa função 24 horas. Depende da disponibilidade e desejo de cada um. Infinitas possibilidades. Uma coisa que aprendi com o tempo e a maturidade. Nãos e pode julgar ninguém nem classificar as pessoas como uma coisa só. Na sexualidade há infinitas possibilidades. Esse lance de 100% isso ou aquilo já era há muito tempo. Se não faz e assume, faz na encolha e camufla. O resto é tolice.

@pornstarbrasil – O contato contigo é feito sempre através das redes sociais ou você já usou algum outro mecanismo pra atrair parceiros?
O contato pelas redes sociais é mais simples e direto, apesar de que rola muita enrolação. Mas as pessoas já mostram antecipadamente o que gostam e o que procuram, e em se tratando de fetiches isso é perfeito. Quando quero algo inesperado, me arrisco na paquera na praia, numa volta no calçadão da praia. De vez em quando dá vontade de uma pegação no “submundo”, dou um rolé num cinemão pornô ou numa sauna, mas, ai você achar alguém que curta fetiches é mais difícil. Mas já rolou, claro. E inesperado é sempre surpreendente e gostoso.

@pornstarbrasil – Gostaríamos de agradecer pela atenção nas respostas e também te elogiar por tudo aquilo que você promove para o público que curte o sexo com bdsm. Cada cena do Blog do Dogão tem seu diferencial, sem roteiro e sem marasmo e isso surpreende e fascina. Desejamos que você realize os sonhos que você se propuser a conquistar. Deixe então uma mensagem para os teus seguidores, fãs, sub’s, etc.

Um dia o personagem vai deixar de existir. E esse dia está cada vez mais próximo, já tem até um prazo pra acontecer, até o final de junho de 2015, quando completarei 50 anos. Claro que vou ficar triste, afinal é o meu alter-ego, o meu “Dark Side of the Force”, mas, está na hora de dar uma sossegada e é isso que a minha intuição me diz. E o “Dogão” não vai deixar de existir, mas vai existir para uma pessoa só, o cara que eu escolher para ser meu companheiro. Porém, o que vai me deixar um vazio é não ter mais o carinho de tantos amigos que fiz durante todos esses anos. Não vou querer despedidas, apenas um dia vocês vão entrar e nada mais vai estar lá. Nem blog, nem Facebook, nem Disponível, nada mais. Somente a lembrança e as saudades de vocês.

8 comentários sobre “André Dogão – Entrevista

  1. Oi gente!!!

    Bom adorei a entrevista, principalmente pq vimos o Dogão por outros o olhos. Fico feliz com a decisão dele em encerrar no auge de sua popularidade. Mas fico triste pq sempre imaginei que minha minha primeira trepada (HxH) fosse no estilo da do Dogão (eu sei q é vergonhoso d8zer isso aqui, mas não ligo). Dogão falou coisas bem interessante. Ficar de conchinha é uma delas, mesmo namorado e trepado poucas vezes com mulheres (nunca com H), sempre imagino um braço de homem me segurando na hora de dormir ou me domando (quem sabe o Dogão não faça isso) na hora H. Tenho uns amigos que nem imaginam que sempre bato uma pensando neles ou quando tô com uma mina penso que estou fudendo um ou outro ( loucura né!!!! Rsrsrsrsrs). Bom vou parar por aqui, bjs pra todos!!!! 《♥♡》

  2. Oi gente!!! Adorei a entrevista com o Dogão, pois mostrou um lado dele que vai além dos filmes. Bem fico feliz com a decisão de deixar de gravar os vídeos e triste pq sempre imagino que minha primeira vez (HxH) será no estilo Dogão, eu sei q é vergonhoso dizer isso aqui no blog, mas fazer o que né??!! Bem tive poucas transas e poucos namoros com mulher, eu tenho um fetiche de q quando estou beijando a mina ou transando com ela, imagino que estou beijando e transando com alguns amigos meus, que por sinal nem sonham desse desejo e dessa vontade de ser enrabado, o Dogão falou na entrevista sobre dormir de conchinha, isso ehhh tudo que eu mais quero. Como disse pense num tesão que dá um braço de uma homem bem grande te segurando ao dormir ou te dominando na hora H. Meu tô no céu se isso acontecesse comigo. Mas sou um puto medroso e muito desconfiado. Espero um dia ter a alegria e o prazer de conhecer o Dogão. Só para conversarmos. E aos demais do blog bjos a todos!!!

Deixe uma resposta